fbpx

Microempresa: O Que é, Como Abrir e Benefícios – Guia Completo

As microempresas desempenham um papel vital na economia, servindo como motores de inovação, criação de empregos e desenvolvimento local. Definidas por seu pequeno porte e simplicidade operacional, essas entidades oferecem uma oportunidade acessível para empreendedores que desejam iniciar seu próprio negócio.

Este artigo aborda o conceito de microempresa, detalhando os passos necessários para sua abertura e os benefícios que ela proporciona. Compreender esses aspectos é essencial para qualquer aspirante a empresário que busca transformar uma ideia em uma operação comercial bem-sucedida. Desde os requisitos legais até as vantagens fiscais, vamos explorar o que torna as microempresas uma escolha atrativa no mundo dos negócios.

O que é uma Microempresa e como funciona?

 

Uma Microempresa (ME) é uma categoria empresarial caracterizada por seu pequeno porte em termos de faturamento e estrutura.

No Brasil, uma microempresa é definida como aquela que possui um faturamento bruto anual de até R$ 360.000,00. As microempresas geralmente possuem uma estrutura organizacional mais simples, com menos níveis hierárquicos e menos funcionários em comparação com empresas maiores.

Devido ao seu tamanho reduzido, as microempresas tendem a ser mais ágeis e flexíveis na tomada de decisões e na adaptação às mudanças de mercado. Muitas microempresas operam em nichos de mercado específicos ou atendem a comunidades locais, desenvolvendo uma base de clientes leal e próxima.

 

Quais os benefícios de ser uma Microempresa?

Todo empreendedor abre uma empresa pelos benefícios que pode obter com o tempo e com as microempresas, não são diferentes. Abaixo listamos os principais:

·         Simplicidade na Tributação

·         Incentivos

·         Menor Burocracia

·         Facilidade de Gestão

Qual é a diferença entre MEI E ME?

 

Micro empreendedor individual (MEI)

  • Faturamento Anual: Até R$ 81.000,00.
  • Número de Funcionários: Um funcionário.
  • Atividades Permitidas: Restringidas a uma lista específica.
  • Contribuição: Pagamento fixo mensal.
  • Benefícios: Benefícios previdenciários, menor burocracia, facilidade de registro.

Microempresa (ME)

  • Faturamento Anual: Até R$ 360.000,00.
  • Número de Funcionários: Mais de um, sem limite fixo.
  • Atividades Permitidas: Ampla gama de atividades.
  • Contribuição: Regimes variados (Simples Nacional, Lucro Presumido, Lucro Real).
  • Benefícios: Maior capacidade de crescimento, flexibilidade tributária, diversidade de operações.

Veja também:

 

Como abrir uma Microempresa? 

Abrir uma Microempresa (ME) no estado de São Paulo envolve várias etapas, desde o planejamento inicial até a formalização da empresa. Abaixo está um guia detalhado:

Passo 1: Escolha do Nome Empresarial

  • Nome da Empresa: Escolha um nome e verifique a disponibilidade na Junta Comercial do Estado de São Paulo (JUCESP).
  • Registro de Marca: Considere registrar sua marca no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) para proteção legal.

Passo 2: Registro na Junta Comercial

  • Consulta Prévia: Realize uma consulta prévia no site da JUCESP para verificar a viabilidade do nome e atividade.

Documentação Necessária:

  • Contrato Social (se houver mais de um sócio)
  • Requerimento de Empresário (para empresários individuais)
  • Cópias de RG e CPF dos sócios
  • Comprovante de endereço
  • Preenchimento de Formulários: Preencha os formulários necessários e protocole na JUCESP junto com os documentos.

Passo 3: Obtenção do CNPJ

  • Cadastro no CNPJ: Acesse o site da Receita Federal, preencha o formulário de solicitação de CNPJ e gere o Documento Básico de Entrada (DBE).
  • Entrega de Documentos: Submeta os documentos na JUCESP juntamente com a solicitação do CNPJ.

Passo 4: Inscrição Estadual e Municipal

  • Inscrição Estadual: Para empresas que realizam atividades de comércio e indústria, faça a inscrição na Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo.
  • Inscrição Municipal: Registre-se na Prefeitura do município onde a empresa vai operar para obter o alvará de funcionamento e outras licenças necessárias.

Passo 5: Alvará de Funcionamento e Licenças

  • Alvará de Funcionamento: Solicite o alvará na Prefeitura. Esse documento é necessário para a regularização do local de operação da empresa.
  • Licenças Específicas: Dependendo da atividade, pode ser necessário obter licenças específicas, como da Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros, entre outras.

Passo 6: Regime de Tributação

  • Escolha do Regime Tributário: Escolha o regime de tributação mais adequado para sua empresa (Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real).
  • Optar pelo Simples Nacional: Se for elegível, opte pelo Simples Nacional, que unifica vários tributos em uma única guia de pagamento e simplifica a contabilidade.

Passo 7: Emissão de Notas Fiscais

  • Cadastro no Sistema de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e): Cadastre-se na Secretaria da Fazenda para emitir notas fiscais eletrônicas.
  • Certificado Digital: Adquira um certificado digital para assinar e emitir as notas fiscais eletrônicas.

Passo 8: Contratação de Funcionários

  • Registro de Funcionários: Registre os funcionários na Previdência Social e cumpra as obrigações trabalhistas e previdenciárias.
  • Folha de Pagamento: Organize e mantenha a folha de pagamento em dia, incluindo FGTS, INSS e outros encargos.

Passo 9: Manutenção e Obrigações Legais

  • Contabilidade: Contrate um contador para ajudar na manutenção dos registros contábeis e no cumprimento das obrigações fiscais.
  • Obrigações Acessórias: Mantenha-se atualizado com as obrigações acessórias, como envio de declarações e pagamento de tributos.

Veja também:

 

Quais os impostos de uma microempresa?

 

Uma Microempresa (ME) pode optar por diferentes regimes de tributação, sendo o Simples Nacional o mais comum devido à sua simplicidade. No entanto, é possível que uma ME também se enquadre nos regimes de Lucro Presumido ou Lucro Real. A seguir, descrevemos os principais impostos que uma microempresa pode estar sujeita em cada regime.

Simples Nacional

O Simples Nacional é um regime tributário simplificado que unifica vários impostos em uma única guia de pagamento, chamada DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional). Os tributos incluídos no Simples Nacional são:

1.      IRPJ (Imposto de Renda da Pessoa Jurídica)

2.      CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido)

3.      PIS/PASEP (Programa de Integração Social / Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público)

4.      COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social)

5.      IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados)

6.      ISS (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza)

7.      ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços)

8.      CPP (Contribuição Patronal Previdenciária)

A alíquota do Simples Nacional varia de acordo com o faturamento anual da empresa e a atividade econômica, podendo ir de 4% a 19,5%.

Lucro Presumido

No regime de Lucro Presumido, os impostos são calculados com base em uma margem de lucro predefinida, determinada pela legislação. Os principais tributos são:

1.      IRPJ: Calculado sobre uma base de presunção que varia conforme a atividade (8% para atividades comerciais e industriais, 32% para serviços).

2.      CSLL: Base de presunção de 12% para atividades comerciais e industriais, 32% para serviços.

3.      PIS: Alíquota de 0,65% sobre o faturamento.

4.      COFINS: Alíquota de 3% sobre o faturamento.

5.      ISS: Varia de acordo com o município e a atividade, geralmente entre 2% e 5%.

6.      ICMS: Varia de acordo com o estado e a atividade.

Lucro Real

No regime de Lucro Real, os impostos são calculados com base no lucro real da empresa, apurado trimestral ou anualmente. Os principais tributos são:

1.      IRPJ: 15% sobre o lucro real, com adicional de 10% sobre o lucro que exceder R$ 20.000,00 por mês.

2.      CSLL: 9% sobre o lucro real.

3.      PIS: Alíquota de 1,65% sobre o faturamento.

4.      COFINS: Alíquota de 7,6% sobre o faturamento.

5.      ISS: Varia de acordo com o município e a atividade, geralmente entre 2% e 5%.

6.      ICMS: Varia de acordo com o estado e a atividade.

Outras Obrigações

Além dos impostos principais, uma microempresa pode ter outras obrigações fiscais, trabalhistas e previdenciárias, como:

·         FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço)

·         INSS (Instituto Nacional do Seguro Social)

·         Contribuição Sindical

·         Taxas municipais e estaduais específicas para determinadas atividades

 

·         Quero saber mais sobre contabilidade para microempresas

Veja também:

·         MEI: Como Abrir, Regularizar E As Principais Dúvidas

·         Como Abrir Uma Empresa? Saiba As Principais Dúvidas

A Sol Azul ajuda você na abertura e suporte de microempresas

Há mais de duas décadas, a Contabilidade Sol Azul tem sido a escolha preferida de empreendedores que buscam um suporte sólido e confiável para suas operações comerciais. Com uma vasta experiência no mercado, estamos comprometidos em fornecer serviços de alta qualidade que atendam às necessidades específicas de cada cliente.

Na Contabilidade Sol Azul, estamos comprometidos com a excelência em tudo o que fazemos. Nossa equipe dedicada está sempre disponível para responder às suas perguntas, oferecer orientação especializada e ajudá-lo a tomar as melhores decisões para o sucesso de sua empresa.

Se você está procurando um parceiro de confiança para ajudar na gestão do seu negócio, entre em contato conosco hoje mesmo. Com a Contabilidade Sol Azul ao seu lado, você pode ter certeza de que suas operações estão em boas mãos.

Veja também:

(Este é um trabalho de SEO desenvolvido pela Atman, Assessoria de Marketing. Para conhecer mais, acesse aqui.)

Sugestão de Posts:

Invista no sucesso da sua empresa!

Como podemos te ajudar? Converse com um dos nossos especialistas em contabilidade.

Posts relacionados

Enviar mensagem
Olá, posso ajudar?! +55 19 99635-0093
Olá,
Como posso ajudar?